Como extrair o melhor do nosso potencial?

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Quando alcançamos uma grande conquista é muito comum darmos uma relaxada. É até saudável. A chave é o tempo que levamos nesta “relaxada”, até voltarmos à carga e traçar nossos cenários e objetivos. Quanto mais rápido melhor!

Após enfrentar praticamente uma batalha para conseguir entrar na universidade, e completamente envolvido com o curso de medicina que demanda a continuidade de muitas horas de estudo, é comum ver uma grande quantidade de médicos em estado de relaxamento quando diz respeito a sua carreira.

No esporte é algo comum de se ver. Após uma grande conquista torna-se difícil manter o alto desempenho. No esporte coletivo as vezes isto é apaziguado pois entradas e saídas de atletas no time renova energia, garra de querer vencer. Mas mesmo assim é difícil de ver grandes feitos por vários anos seguidos. Para não entrar em disputas futebolísticas no Brasil, temos feitos como do Chicago Bulls, Lakers e Boston Celtics, ou na NFL que apesar de algumas supremacias, ainda não teve um tri-campeão consecutivo. Nos esportes individuais há poucos casos na história como no tênis, atletismo, natação, mas ao comparar com a totalidade de atletas, estes feitos são de fato um ponto fora da curva da realidade.

A sensação de ter realizado um grande feito, devido a intensidade grande do curso, além da confiança que conseguindo passar nas matérias terá o futuro garantido, é um dos principais erros do profissional de medicina. Ele acaba não tendo tempo de pensar na sua carreira, de entender suas habilidades, afinidades, de alinhar suas fortalezas com uma escolha do ramo da medicina que esteja mais próximo dos seus objetivos.

O dia a dia é muito pesado. Enquanto estudante, a rotina de estudos é intensa. Após se formar, continua os estudos intensivo, mas já assumindo responsabilidades profissionais, o que dificulta ainda mais.

Muitas vezes quando se dá conta, anos já se passaram, está sem forças para mudar de rumo, sem condições de se desvencilhar dos compromissos e vínculos assumidos, para assim, poder perseguir seus sonhos e satisfação profissional.

Mas em que momento devemos nos atentar para não deixar que ocorra com a gente o que ocorre com a grande maioria? Hoje são em torno de 30 mil profissionais de medicina que se formam todo os anos. Menos de 10 mil vagas para residência. As oportunidades na medicina são inúmeras. Mas onde atuar? Quais competências devo ter para atuar em determinadas áreas?

Ter a oportunidade de se abstrair do mundo da medicina e focar em avaliar seus objetivos, sonhos, capacidades é fundamental para trilhar o caminho do seu sucesso. Para ter energia, garra e resiliência para chegar onde se deseja. O quanto antes o estudante ou o médico já formado conseguir, mais sucesso profissional ele terá. Lembrando que sucesso não é ter mais ou menos dinheiro, mas sem estar mais próximos dos seus objetivos de vida.

Importante refletir sobre o peso que o médico carrega nas costas. É comum termos no sonho da medicina o sonho de uma família. Seja daquele jovem que teve toda a família  empenhada para dar condições para que estudasse e entrasse no curso promissor. Sejam naquele jovem que queria quebrar o destino da família e foi buscar forças para fazer a diferença na família, seja aquele jovem que muitas vezes estudou medicina para satisfazer o desejo de familiares já médicos, onde a família não lhe deu outra oportunidade a não ser a de ser médico.

Nestes casos, contar com familiares para orientar um reposicionamento dentro da medicina é quase impossível. Difícil seria a compreensão dos familiares com uma não sequencia no caminho “normal” da medicina. Difícil seria um familiar que não seja médico pode estar a altura de dialogar de forma verdadeiramente contributiva para a carreira médica se não conhece as opções possíveis, a não ser as já tradicionais. Difícil para um familiar entender que o sonho do ser médico de sucesso pode não ser mais tão fácil como antigamente, haja vista a alta concorrência existente e degradação das condições de trabalho.

Poder ter um diagnóstico de quem é, suas habilidades, pontos a desenvolver, saber quais são suas competências, elaborar um planejamento de carreira é extremamente importante. Este é o caminho para que possa extrair o melhor de si para o futuro profissional.

O carreira médica proporciona exatamente esta condição de ter um debate de alto nível sobre a carreira do profissional de medicina e poder contribuir para decisões importante sobre o futuro da sua vida profissional.

Autor Marcelo Braga

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on print
Print
Share on email
Email