Meu mundo caiu, me pediram meu Curriculum…

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Quem é médico sabe que o CV de um médico é bem diferente do CV de quem trabalha no mundo corporativo. A semelhança mais próxima se dá no caso de algumas linhas do direito. Isto se deve ao fato de ser muito mais comum a utilização do CV Lattes, ou Curriculum Lattes na medicina, também muito utilizado no direito e no meio acadêmico.

No entanto, quando o médico quer atuar no mundo corporativo o CV Lattes praticamente não tem uma compreensão, pois não é muito utilizado, extenso, excesso de detalhe na visão de quem o lê nas empresas. Mas e aí? O que eu faço se tiver uma oportunidade no universo corporativo e tiver que apresentar um CV de uma hora para outra? Devo enviar o CV Lattes?

Primeiro não se desespere. Vamos te ensinar como fazer um CV para o mundo corporativo de forma rápida, sem que precise enviar o CV Lattes, que dificilmente será corretamente interpretado. O CV, sendo CV Lattes ou CV é um documento que registra seu histórico. Eles são até muito similares na essência. Diferem-se na formatação. Comece pelo básico. Tenha suas informações a mão. Então busque alguma modelo na internet. Existem centenas de opções, até mesmo a Microsoft (Word) lhe oferece opções de formatação. Procure um formato que te identifique e parta para o preenchimento das informações.

Comece pelos dados cadastrais, como: nome completo, endereço (atualmente por questões de segurança tem sido comum colocar apenas bairro e cidade), estado civil, filhos ou sem filhos, data de nascimento, naturalidade.

Depois vá para a formação acadêmica. Aqui entra o primeiro ponto de atenção. Médicos tem centenas de cursos. No CV do mundo corporativo você não inclui todos eles. Listará sua graduação, especialização, se tem alguma pós-graduação, doutorado. Coloque nome do curso, instituição que cursou, cidade/pais e data de conclusão para cada um deles. Na parte final do CV, se tiver espaço, haja vista que terá no máximo duas páginas com letra em fonte arial, ou similar, tamanho 11 ou 12 e espaço simples entre as linhas, você pode incluir um item para Outros cursos, onde listará demais cursos relevantes.

É importante destacar a questão de idiomas, portanto, após a parte de formação acadêmica crie um item de idiomas, onde deixe claro o idioma e o nível de fluência. Em geral usa-se as nomenclaturas: nativo, fluente, avançado, intermediário e básico. Não minta o seu nível. Pior do que não ser chamado para uma entrevista por não ter o idioma é ser chamado para uma entrevista e na hora de testar o nível que colocou não conseguir comprovar.

Bom, até aqui tudo tranquilo. Agora vamos para a experiência profissional. A carreira do médico é bem diferente da carreira corporativa. Os médicos em geral possuem vários empregos ao mesmo tempo. Portanto, muita atenção com as datas para não confundir a análise de quem vai ler seu CV. Dê destaque para a instituição onde prestou serviço, tipo Beneficência Portuguesa. Coloque a função que exercia, a área de atuação e a carga horária que praticava. Em experiência profissional abra uma aba para as experiências atuais e outra para experiências anteriores. Na aba de Experiências Profissionais Atuais, inclua todos os trabalhos e responsabilidades, como dito acima. Inclusive, se tiver experiência acadêmica é o momento apropriado de se incluir. Abaixo de cada experiência reserve duas três linhas bem resumidas para contar o que fez ou está fazendo em cada atividade.

Está quase pronto. Ao final reserve um espaço para falar de hobbies, atividades extras, ações comunitárias. E para finalizar, volte ao início do CV, logo abaixo dos dados cadastrais e inclua o objetivo desejado. Note que pela própria característica da carreira médica, a cada momento o objetivo desejado será diferente, então, a cada envio dê uma revisada para avaliar se o objetivo do CV que enviará está alinhado com o objetivo da vaga que está concorrendo, obviamente se estiver dentro dos seus objetivos profissionais e pessoais.

Desejando facilitar ainda mais a visão de quem irá avaliar o seu CV é possível incluir resultados de inventários comportamentais, para que o avaliador conheça mais sobre você, quais são suas competências comportamentais. Existem algumas soluções no mercado. No carreira médica nós utilizamos o DOM que permite uma visão bem completa, e apoia bastante no auto-desenvolvimento.

E por fim, atente-se a alguns aspectos básicos de formatação. Busque não exceder duas páginas, tamanho de letra deve ser uniformizado em todo o documento, exceção para títulos dos itens e nome, que devem estar negritados. Não utilize cores. Pense que é um documento e que deve ser sóbrio. Fosse um CV de designer gráfico, artista plástico, sem dúvida alguma já mostrar no CV a capacidade de criação seria um diferencial, mas não é o caso no CV de um profissional de medicina.

Estas são dicas básicas, para uma rápida confecção. O ideal é revisar o conteúdo do seu CV a cada 6 meses e sempre ter uma versão pronta a mão. Nunca se sabe quando uma ótima oportunidade irá surgir para você.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on print
Print
Share on email
Email